Está aqui

...

Há pessoas caladas que precisam de alguém para conversar.
Há pessoas tristes que precisam de alguém que as conforte.
Há pessoas sozinhas que precisam de alguém para brincar.
Há pessoas com medo que precisam de alguém para lhes dar a mão.
Há pessoas fortes que precisam de alguém que as faça pensar na melhor maneira de usarem a sua força.
Há pessoas habilidosas que precisam de alguém para ajudar a descobrir a melhor maneira de usarem a sua habilidade.
á pessoas que julgam que não sabem fazer nada e precisam de alguém que as ajude a descobrir o quanto sabem fazer.
Há pessoas apressadas que precisam de alguém para lhes mostrar tudo o que não têm tempo para ver.
Há pessoas impulsivas que precisam de alguém que as ajude a não magoar os outros.
Há pessoas que se sentem por fora e precisam de alguém que lhes mostre o caminho de entrada.
Há pessoas que dizem que não servem para nada e precisam de alguém que as ajude a descobrir como todas essas pessoas precisam de alguém, Somos tão inteligentes mas tão frágil!
Se acomodamos por ignorância, ou por falta de vontade, as vezes escutamos algo que não gostamos e logo vem a raiva, o ódio, convulsivo digamos, pois o controle foge da nossa capacidade de ver o nosso semelhante como nos mesmo, eu fico olhando as pessoas consumistas, sem se importar com o dia de amanhã, vejo outra pessoa pensando o que vai comer quando a fome sentir, por mais que eu tente entender essa massa de seres humanos não consigo, pois somos único, mas também somos ignorantes, não tenho vergonha de dizer isso, SOU IGNORANTE... pois as vezes me deixo me levar pela razão e não pela minha consciência, as vezes orgulhoso, e não modesto, quem neste planeta é inteligente ou um sábio em dizer que conhece a vida, que sabe de tudo, que se considera uma pessoa boa e generosa, mas la, la bem no fundo do seu ser pequeno e quase insignificante em tanta gente, e esse planeta enorme que quase não temos o nosso próprio espaço e liberdade, ou reconhecimento com mérito pelas nossas façanhas do bem, há povo favelado, sem uma moral de conhecimento, de espírito, de vida, vivência de sua própria existência, sofre por tudo, de inveja, ciúmes, rancor, raiva, cai e se levanta sem ao menos pensar que aprendeu com a dor do que a fez cair, cuida muito da vida do seu semelhante do que a sua própria, Eu não entendo o meu semelhante, e talvez nem eu mesmo me entendo as vezes, mas tento ser o mais simples e humilde possível que posso, talvez um dia ou uma época eu chego lá, mas pelos menos tenho em minha mente esse pensamento.

Fonte: 
minha autoria
Média: 
Autor do texto: 
Tema do texto: